Ultimas Notícias

Vitamina D e performance em atletas

Foto: Instagram Dra Lenina Matioli

Vamos explicar de uma maneira simples: 
A vitamina D é um pré-hormônio, (semelhante a um hormônio esteróide) formada pela incidência de raios UVB na pele a partir de 7-dehidrocolesteol (molécula precursora de colesterol).
Há muito, é conhecida a função da vitamina D de absorver cálcio alimentar, poupando o cálcio dos ossos.
E o que isso tem a ver com treinos?
As contrações musculares para todo e qualquer movimento de qualquer músculo dependem de cálcio.
Durante a atividade física a exigência de contração tanto dos músculos esqueléticos quanto do músculo cardíaco é maior, por isso níveis equilibrados de cálcio são fundamentais.
A partir disso fica fácil entender que baixo nível de vitamina D pode:
  • diminuir a capacidade regenerativa muscular e aumentar lesões pelo uso excessivo.
  • diminuição da força muscular.
  • diminuir a densidade mineral óssea.
  • prejudicar a função cardiovascular
  • diminuir o consumo máximo de oxigênio (o famoso VO2)
Existe ligação estreita entre deficiência de vitamina D e perda de massa muscular.
O nível de vitamina D3 é facilmente avaliado em um exame de sangue simples de rotina.
No caso de deficiência a reposição pode ser feita por via sublingual, intramuscular e via oral (esta última na minha experiência com pouca resposta clínica).
Atualmente o debate entre níveis ideais de vitamina D é muito controverso, e na área do esporte não há consenso, por isso procure perto de você um médico do esporte que tenha experiência com atletas amadores e profissionais para que não ocorra suplementação com subdose ou mesmo excessos e não prejudicar seu rendimento.

__________
Escrito por Dra Lenina Matioli

Nenhum comentário